Vida não se compra

Vida não se compra

Sobre as fabricas de filhotes

Existem hoje no planeta em torno de 400 raças de cães, todas originadas do lobo. Junto com elas surgiram mais de 300 doenças genéticas causadas por cruzamentos forçados.

O antropocentrismo é a postura que nos leva a buscar sempre saciar nossos desejos humanos individuais, sem considerar o resultado que esta nossa escolha vai produzir no mundo em que vivemos. E é só por isso que ele está como está.

Tratando-se de bicho, criamos todas as especificações físicas e comportamentais do animal que idealizamos comprar, e ao comprá-lo alimentamos diretamente um mercado que está longe de ser ético, profissional e responsável.

Acreditem, dos canis clandestinos mais horrendos aos canis com a vitrine mais limpa e linda, é só você pesquisar e descobrirá várias irregularidades. Vá em frente, denuncie e conte conosco!

O Comércio de animais é um dos principais responsáveis pelo surgimento de inúmeras doenças congênitas em animais de raça, causadas pela falta de controle genético, contribui de forma significativa com o abandono de parte dos animais comercializados, além promover a exploração de suas vidas em benefício exclusivo do seu bolso e de seus parceiros de mercado, que, mesmo cientes de todos os problemas de saúde e comportamentais que cada raça desenvolve, não não divulgam, não informam aos compradores, pois não abrem mão de lucrar o seu, incentivando que Vidas sejam postas em vitrines reais ou prateleiras virtuais como Mercado Livre, OLX ... afinal, quanto mai$ bicho de raça melhor não é?

Infelizmente, por falta de comprometimento dos órgãos “competentes”, não há fiscalização. Então cada um faz da forma que melhor lhe convém, ou seja, da forma mais lucrativa. A maioria dos criadores sequer tem registro na Vigilância Sanitária. Não cumpre o mínimo aceitável para que seus animais e seus descendentes tenham uma vida digna. A dura realidade vivenciada por estes animais é testemunhada, denunciada e negligenciada por estes órgãos corriqueiramente.

Os animais são vendidos vermifugação e uma vacina, fato que leva milhares deles à óbito no início da sua vida, por doenças como por exemplo parvovirose e cinomose nos cães e aids ou leucemia, nos gatos.

Nos canis mais estruturados, os animais são livres de parasitas, porém em muitos são mantidos em locais insalubres, infestados de parasitas como piolhos, pulgas, carrapatos, são limpos para irem à vitrine. Infelizmente muitos deles, acabam vindo à falecer por conta de doenças como verminose ou erliquiose antes ou após a compra. 


As mães ou matrizes como são chamadas, geralmente vivem em ambientes reduzidos, mesmo que seja um canil de vidro limpo e bonito, muitas delas não têm o direito de correr, brincar e tomar sol, pisar na grama, nem sempre possuem todas as vacinas necessárias e ração de qualidade. Nos piores casos, vivem em gaiolas e por isso, muitos deles tem problemas nas patas.

Muitas matrizes são obrigadas a parir a cada cio, o que as leva a sacrificar sua saúde, pois são vistas como matéria prima e não da forma que deveriam, amados animais de companhia.

Como os filhotes são vendidos ainda bebês, com 45, 50 dias, muitos são comprados por impulso, pois encontram-se na fase de “fofura pura” e assim que começam a desenvolver-se, apresentam doenças comuns na raça ou vão ficando adultos, alguns deixam de ser interessantes e passam a ser vistos como um problema na vida do comprador, que acaba repassando-o à primeira pessoa que aparecer.

Como são tratados como produtos, ao “surgir um filhote/produto com defeito” ou quando uma matriz perde a capacidade de exercer a “sua função”, simplesmente é “descartada” ou doada a qualquer pessoa, ou ainda sacrificada.

As pessoas que por inocência, aceitam a doação não imaginam os problemas que este presente “de raça” apresentará. Muitas vezes são pessoas simples, sem informação, sem espaço adequado, recursos para banho e tosa, boa ração, tratamento veterinário. Em muitos casos, mesmo doente o animal continua sendo explorado com a subcriação clandestina.

Muitos acabam definhando num canil, corredor ou porão, sem amor e cuidados que deveriam ter.

Daí o grande número de animais de raça abandonados, por apresentar alguma deficiência física, manifestar alguma doença, por terem crescido muito ou serem muito destrutivos, ou simplesmente por ter sido comprados impulsivamente.

Todos são vendidos sem estar devidamente castrados, o que incentiva ainda mais a proliferação da criação clandestina e todo o sofrimento que ela traz ao nosso mundo.

Muitos sem recursos, financiam em muitas parcelas uma filhote fêmea já no intuito de procriação. E em sites de anúncios ou em encontros da raça, podem encontrar o "namoradinho" perfeito para sua pequena pagar-se e ainda gerar lucro com suas ninhadas.

Num belo canil, algumas matrizes, quando atingem certa idade(6 anos) e teoricamente não deveriam mais procriar, são retiradas de circulação como se fossem ganhar a tão sonhada aposentadoria. Então são doadas a pessoas simples, que na maior felicidade as aceitam com a condição de, a cada cio, vir um macho visitá-la. Então seus filhotes continuam a ser vendidos normalmente, sugando assim a vida da mãezinha mesmo durante sua velhice. Isso é muito comum nos grandes canis.


Fêmeas são vendidas com desconto e acordos, de posteriormente levar o macho para visita-las no cio, para que as crias sejam 10% do comprador e 90% do canil e serão vendidas com “pedigree genérico” sem interessar o ambiente em que viveram, parasitas, qualidade de ração... Isso é muito comum nos grandes canis.


Alguns canis teoricamente legalizados e respeitados, compram ninhadas inteiras da criação clandestina, pagando R$ 100,00 por filhote e vendendo mais tarde até com “pedigree genérico” por R$ 1.500,00/ R$ 2.000,00 cada um. Isso é muito comum nos grandes canis.

Sentimos muito, porém isso é mais comum do que se imagina e realmente acontece nos menores e maiores canis.


Não há a menor responsabilidade em acompanhar a vida dos animais por parte dos criadores ou vendedores.

Afinal, mesmo que um criador trate bem seus “produtinhos”, não se preocupa nem pensa em garantir o bem estar dos seus descendentes.

Os criadores sérios, em grandes cidades ou países mais desenvolvidos, vendem seus animais com todas as vacinas, castrados e chipados, com um contrato de responsabilidade e acompanhamento do bem estar do animal.


Infelizmente aqui onde não há esta cultura ética, a única forma que conseguiremos garantir os direitos dos animais será estabelecendo este protocolo, esta conduta na forma de LEI.

 

Fabrica de filhotes

Doenças típicas de cada raça

Pug

Meningoencefalite, dermatite, sarna demodécica, insuficiência respiratória podendo chegar a óbito em atividades intensas, rinite alérgica, palato mole alongado, problemas com as glândulas AD-Anais, olho seco e úlcera de córnea, lipoma, epilepsia e otite.

Buldog Inglês

Pelve estreita, cruzas por inseminação artificial e parto por cesárea, hipertermia, problemas respiratórios, dermatites, displasia coxofemoral e de cotovelo, hipoplasia da traquéia, hipotireoidismo, prolapso da terceira pálpebra, cálculos na bexiga, olho seco, prolapso uretral, sarna demodécica e mastocitomas.

Basset Hound

Otites constantes e problemas ortopédicos graves.

Beagles

34% deles sofrem de inflamações nas artérias coronárias.

Chihuahua

Hidrocefalia, pressão no cérebro podendo causar dor e a perda das funções cerebrais.

Collies

90% deles sofrem de anomalia nos olhos que envolve o nervo óptico e a retina.

Dálmatas

30% deles são surdos.

Dobermann

40% deles sofrem de Insuficiência Cardíaca.

Golden Retriever

Displasia coxofemural, perde a mobilidade nas patas traseiras

Labrador

Torção gástrica, problemas ósseos e insuficiência renal.

Lulu da Pomerânia

Deslocamento de patela e degeneração progressiva de retina.

Pastor Alemão

Problemas de articulações, displasia coxofemoral, perde a mobilidade patas traseiras

Pitbull

Displasia coxofemural, problemas de patela e muitos problemas de pele.

Rottweilers

55% sofrem de displasia no cotovelo, alergias e hipotireoidismo.

São Bernardo

Dilatação gástrica, problemas ortopédicos,

Shihtzus

Problemas respiratórios, otites e problemas de pele, coprofagia (come fezes).

Sptiz

Luxação patelar, disfunções da tireóide, problemas de pele, fungos, caspa e seborreia.

Yorkshire

Hernia, necrose asséptica, ceratoconjuntivite seca, problema de patela.

O que fazer?

Não incentive o comércio de vidas

Denuncie o comércio ilegal

Visite os canis e se constatar irregularidades denuncie!

Adoção + Castração = Solução

Adote mais amor na sua vida!

Reflita: Sua raça é pura?

Nossa proposta

Somos definitivamente contra o comércio de animais, acreditamos que vidas não se compram nem para companhia.

Semanalmente resgatamos da rua ou de maus tratos diversos animais de raça pura e sem raça, porém, como hoje existem canis de criação com sua atividade já regulamentada então, lutaremos para que se estabeleça um protocolo ético, para que os órgãos competentes façam seu trabalho de fiscalização e fechem os canis que não estejam dentro das normas.

Para ser comercializado, todo animal precisa:

Ter recebido 3 vacinas polivalentes de boa qualidade

Estar chipado com identificação do bicho, canil e comprador

Estar castrado(somente dentro do estabelecimento registrado do canil, poderá manter seus animais ainda não castrados)

Ter um contrato de compra/venda e responsabilidade, com apresentação de todos os problemas comuns à raça e guia de cuidados, com um serviço de acompanhamento no primeiro ano do animal
 

Também deve-se estabelecer ambiente adequado, suplementos, número de crias, intervalo entre as gestações, a idade máxima e castração obrigatória para garantir a proteção deste ser vivo.

Somos protetores, por altruísmo, contamos com a ajuda de vocês porém grande parte do nosso trabalho sai do nosso bolso.

Mesmo assim, notamos que infelizmente não podemos confiar no bom senso humano, então definimos há mais de um ano que todos os nossos animais devem ser doados já castrados e vacinados. Não levamos bebês pequenos e desprotegidos para eventos, sem no mínimo duas vacinas e castração. Lembrando que fazemos isso por amor, responsabilidade e com nossos próprios recursos.

Vendo filhotes sendo vendidos a R$ 5.000,00 com apenas vermífugo e uma vacina, seria justo que o “profissional” que lucra este valor, no mínimo seguisse este protocolo concordam?

Tudo isso na forma de LEI, o Instituto é o Bicho vai lutar por isso. 


Fontes: Patrícia Jerosch, adaptado do texto de Evander Bueno.